segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Estreia...

Olá, pessoinhas.
Que responsabilidade a minha. Vou estrear o "Só para blogueiras".
Quero lhes dizer que sou péssima em apresentações. Acho que eu não sei falar de mim ou tenho medo de falar e parecer presunçosa. Falarei apenas coisas básicas sobre mim, certo? O resto vocês conhecerão com o tempo, espero.

Sou Erica Ferro, tenho 19 anos e moro em Maceió-AL. Sou desvairadamente apaixonada por livros e por esse universo rico e encantador das palavras. Sou uma blogueira ativa. Sim, adoro esse universo chamado blogosfera. É muito gratificante ver as pessoas compartilhando os seus pensamentos e opiniões, debatendo e se emocionando com os belos textos que se pode encontrar na blogosfera. Escrever pra mim é como se derramar, entendem? Compartilhar a nossa alma com a alma do nosso leitor. É uma comunicação de almas. Sim, com certeza uma comunicação de almas.
Além dos livros e de escrever, sou apaixonada por natação. Adoro nadar e, mais ainda, competir. É uma sensação única sentir o gosto da vitória, mas também é edificante aprender com as derrotas.
Olhando mais amplamente, a vida é apaixonante, não? Muito apaixonante. Mesmo com todas as dificuldades e pedras no caminho, a vida é algo único e que pede grandiosidade, pede significado.
Todos os dias eu busco ser mais apaixonada pela vida e quero que ela valha a pena mais e mais.
Isso é apenas uma síntese mal feita do que eu sou. Com o tempo, vocês conhecerão mais de mim.
Nosso encontro está marcado aqui, todas as segundas.

Hoje postarei uma crônica do Nivaldo Pereira, que foi publicada no jornal "Pioneiro" de Caxias do Sul. Me identifiquei muito com essa crônica e reflete bem o meu dia hoje. É que hoje eu não sei bem do que escrever e o Nivaldo fala por mim.
Espero que gostem da crônica.
Até a próxima segunda.
Grande abraço.

"Olá, boas-vindas, pode entrar. Fique à vontade, o texto é seu. Bem, ainda estamos na planta, é claro, mas as letras, feito tijolos, vão formar palavras, e o texto se construirá, neste espaço mesmo. Aqui será o primeiro parágrafo. O tema? Ah, ainda não defini. Sei, sei que é insanidade entrar assim sem ter o tema, logo ele, que fica na fachada. Só por isso, muita gente nem entra, ou sai do texto sem demora. Poucos têm tempo para o que não está planejado. Odeiam o imprevisível – como se previsível a vida fosse! Mas, que bom que você ainda está aí. Sinal de que confia em mim e de que isso não parece enrolação.

Nossa, que rápido! Já pulamos para o projeto de segundo parágrafo. Podemos caminhar assim, nos alicerces invisíveis dessa obra vazia. Dá uma sensação metafísica, como um deus discutindo a criação que ainda nem foi manifestada: o mundo antes do mundo, somente como ideia. Olha como isso é sério e profundo! Azar de quem não entrou. Mas ainda estamos nas preliminares desse não-texto. Quero levar você bem mais para dentro desse vazio. Segura minha mão, vamos pular adiante: um, dois e...

Três! Pronto, cá estamos no lugar do terceiro parágrafo. É perto da porta de saída ou o quintal do texto. Percebo em você uma sombra, como se duvidasse que vamos chegar a algo de palpável nessa conversa que parece mole. Estou jogando alto, admito. Eu até me espanto dessa audácia de deslizar nas entrelinhas, no não-dito. E confesso: também não sei aonde isso vai dar. Só sei que vivemos situações assim, quando a gente jamais imagina onde vai parar. Sabe redemoinho? Sabe perda de sentido? Ei, não foge, espera...

Ahá!, alcancei você. Aqui será o quarto parágrafo, com vista para o horizonte, fim da planta do texto. Preciso concluir algo rápido. Não posso trair sua confiança, sua jornada até aqui. Vamos à janela. O que vemos? Cerração. Então, resta esperar. Igual a nós, tudo mesmo carece de gestação. É bom refletir nisso. Olha só, o tema apareceu! Desconfio que o texto nascedouro vá falar de espera. Ou sobre o desconhecido. Veja!: lá surge o título, bem ali, no meio da bruma... Consegue ler?"

3 comentários:

Chris disse...

Gostei! E vc ainda dizia que não tinha ideia do que postar...

Ana Filipa Silva disse...

A apresentação ficou muito boa Erica =)

E a crónica é bastante engraçada e bonita =)

Beijinhos na testa p'ra ti miúda x) :*

Marie disse...

Muito bom Érica. Adorei a crônica,hehe!!
beijos