segunda-feira, 7 de setembro de 2009

"Independência ou morte!"

No dia 7 de setembro de 1822, um grito ecoou marcando o fim do domínio de Portugal no Brasil.
Mas não é da independência brasileira que quero falar.
Quero falar da sua independência, da minha também, é claro. Ao mesmo tempo que lhe aconselho, aconselho a mim também.
Você tem sido independente de você mesmo? Quero dizer, você tem gritado e espantado os seus fantasmas interiores?
Não é fácil encarar e lutar contra toda a cavalaria, exército e marinha. Não é, eu posso entender.
Mas a luta deve acontecer. Você vai se deixar vencer? Grite! Clame e busque sua independência.
Aniquile seus medos e traumas. Seja um bravo guerreiro! Acertaram seu coração, te feriram? O reconstrua, o cure. Levante, suba em seu cavalo novamente e saia galopando bravamente. Sempre.
E sua espada, está intacta? Não me diga! Está suja de sangue? De quem são os ferimentos? Seus? Você feriu alguém? Oh, Deus! Quem?
Não se martirize, não se culpe. O ajude, cuide dos ferimentos do ferido, faça do inimigo o teu mais novo amigo.
Não há tempo para desperdiçar com inimizades e ódio.
Alimente bons sentimentos em tua alma.
Seja independente fisicamente e interiormente e pregue essa independência por onde passar!
Não só pregue, mas lute por ela e por tudo o que você acreditar.

"Independência ou morte!"

Ter autonomia para não morrer. Vencer o que nos vence para poder viver, pois viver é diferente de sobreviver. Como eu já disse em um certo dia. Viver é sentir a vida latejando nas veias, é aproveitar cada segundo e ter a certeza de está se fazendo tudo o que podia para ser pleno e feliz - isso é ser independente. Sobreviver é morrer dia a dia, é ser acorretado pelos medos e traumas, ser impedido de viver.

Portanto, grite hoje e agora a sua independência.
Prepare-se, a guerra não é fácil. Mas esteja certo de que você pode vencer o que tiver de ser vencido, basta que se proponha a isso.

•••

Essa é a minha contribuição pra hoje. Admito que queria ter escrito algo mais bem elaborado e emocionante. Mas, acreditem, esse foi o melhor que consegui. Espero que gostem, que se identifiquem e possam absorver a essência do que eu quis passar hoje pra vocês.

Mas, antes de ir, como não me apresentei direito da primeira vez (ainda bem que eu avisei que não sabia me apresentar), quero deixar outros lugares que vocês podem me encontrar:
Sacudindo Palavras (meu blog pessoal)
Pensamentos Devaneantes (blog que tenho com minha amiga Letícia Christmann)
Divã Cor-de-rosa (outro blog coletivo que faço parte)
Twitter
Skoob
Orkut

Grande abraço e até a próxima segunda!

6 comentários:

Ana Filipa Silva disse...

Aww, como eu já te tinha dito: gostei muito muito do texto. Tens uma imaginação invejável...
Quem diria que um texto que começaria assim:
"Independência ou morte!"
No dia 7 de setembro de 1822, um grito ecoou marcando o fim do domínio de Portugal no Brasil.", se desenrolaria de uma maneira tão profunda??

Adoro-te muito! Beijinho :*

Ana Filipa Silva disse...

^^ Eu disse que seria a primeira a postar!! xD

Mari disse...

nossa que conhecidencia, eu estava procurando um filme para ver hoje e passei pelo canal que estava dando: Independencia ou morte

aosijdioas, adorei o post!
beijos

Jeniffer Yara disse...

Foi lindo o post! E se foi não elaborado,imagine se fosse...rs Indepedencia ou morte sempre! Isso quando puder ter a minha né?!rs

Bjs

matteizinha *Mega Drivens* disse...

Ficou maravilhoso! E se foi não elaborado,imagine se fosse...rs [2].

Ana Seerig disse...

Ótimo!

Imagine se fosse elaborado... [3]